Atendimento via Whatsapp

Toque para acessar

Cursos e Tratamentos de Apometria

Cinco atitudes que todo esprita deve ter para facilitar a evoluo espiritual

Evoluo Espiritual

O espiritismo somente se expandirá pelo planeta como doutrina de luz se os seus discípulos colocarem em prática os ensinamentos. Falar é fácil. Dizer palavras bonitas é lindo. Mas é na rotina do dia a dia que o espírita tem o DESAFIO de colocar em prática a reforma íntima e a superação de suas imaturidades.

Ao longo da história da humanidade, as religiões sempre foram o refúgio dos hipócritas, sempre em busca de falar muito, realizar rituais e esquecer os ensinamentos tão logo voltam para a sua rotina diária. Nós, espíritas, temos vantagem. Não temos rituais sagrados para nos escondermos. Não temos a desculpa dos dogmas que servem para criar máscaras que justificam comportamentos errados. Mas não estamos livres dos jogos mentais, das ilusões, desculpas, autoenganações. Somos humanos, estamos encarnados porque nossas imaturidades ainda são gigantes.

Todavia, não somos apenas poço de imaturidades. Somos espíritos com sabedoria acumulada ao longo de experiências encarnatórias. Temos que usar essas experiências para nos auxiliar nesta encarnação. Existe O MELHOR DE NÓS dentro de nós mesmos.
O grande desafio está nas escolhas que são realizadas diariamente. Somos imaturos e temos que aprender a lidar com imaturidades. Se usarmos recursos desenvolvidos duramente pelo espírito tudo será mais fácil. Nossa parte boa será capaz de iluminar, caminhar rumo à maturidade.

Os objetivos mais urgentes da evolução são:

a) Aumentar a sabedoria;
b) Elevar o nível vibracional;
c) Aprender a manter a sintonia com o melhor que há dentro de cada um.

Nós, espíritas, temos que nos conformar que a exigência de nossa religião é maior. Temos que mudar nossas atitudes, mas também o que está dentro e que gera sentimentos, pensamentos, sensações e vibrações.

Duas pessoas dão comida para um necessitado. Um age por amor e o outro por culpa. As duas situações são dignas. As duas situações merecem louvores. Caberá à culpada, através da superação de suas limitações, abandonar a culpa e abraçar o amor. As vibrações geradas pelo amor são mais elevadas que as vibrações geradas pela culpa.

Encarnamos para viver, principalmente, as pequenas decisões e escolhas cotidianas. Elas são super, mega, hiper importantes. Elas são nossas lições diárias. Gostaria agora de focar em cinco atitudes importantíssimas para que o espírita consiga cumprir tarefas urgentes de sua evolução. São a coragem, sacrifício, aquietação, autonomia, confiança.

Coragem

Todos somos aprendizes que precisam respeitar suas dificuldades. Mas todos nós somos mestres que já aprenderam bastante. Somos caminhantes e temos que usar INTENSAMENTE o melhor que há em nós para superar nossas imaturidades. Você precisa de duas coisas:

1) Usar o melhor que há em você e aproveitar as oportunidades da vida;
2) Coragem, ousadia e paciência para COLOCAR EM PRÁTICA e permitir que os frutos da sabedoria amadureçam.

CONFIE que as escolhas nobres são as mais eficientes e tenha coragem de colocá-las em prática. Assim você construirá a sabedoria que tornará o seu espírito mais forte e preparado.

A encarnação é o momento de aprender enquanto se faz, realiza, produz. É a PRÁTICA. É natural a insegurança, a dúvida, o medo. Você está tendo que aprender na marra. O que a maioria das pessoas faz é ruim: elas atrofiam a vida. Limitam-se demasiadamente. Tornam-se muito piores do que poderiam ser. Uma das razões deste comportamento de sabotagem é a busca da segurança e do conhecido.

O problema é que o conhecido está repleto de imaturidades, erros, conflitos, confusões. Quem não aprende repete os mesmos erros. Quem não tem coragem para colocar em prática o melhor que há em si sempre terá sua evolução espiritual limitada. Observe as áreas da sua vida que você tem muita insegurança e muita retração. São áreas de dor, traumas, condicionamentos etc. São suas sombras que estão se manifestando. Elas não devem te dominar. Elas devem ser cuidadas e curadas. Coragem! A evolução VAI acontecer. Ajude-a e ajude-se.

Sacrifício

O sacrifício é irmãozinho da coragem. O sacrifício é a ESCOLHA DO SOFRIMENTO. Um sofrimento em boa direção e, preferencialmente, com objetivo claro. Aceite o sacrifício! Ele dói, mas dói menos do que ficar poluindo a sua vida. Sacrifício é uma forma radical de higiene mental e humildade.

A evolução que você deseja obter somente será verdadeira se mudar suas atitudes. Você deve REPETIR os mesmos erros e escolhas ruins e não deve ceder à tentação. Tem que se SACRIFICAR para manter a escolha do que é positivo. Sem sacrifício, não há como vencer os desafios da verdadeira evolução espiritual. O sacrifício te mantém firme e dá tempo para a mudança interior se fortalecer. Seja verdadeiro com você mesmo. Se quiser realmente mudar algo esteja preparado para se sacrificar.

Reflita: Quais são os meus desafios? Qual é a transformação que estou adiando e não coloco em prática? Qual sacrifício devo fazer para viver a verdadeira espiritualidade?

Aquietação

Estados de aquietação da mente são grandes facilitadores da formação de vibrações sutis e elevadas. Por exemplo, durante as orações, meditação, mentalização e outros. A aquietação da mente e a sintonia com o mais nobre precisa ser CONSTANTE para manter a consciência sempre receptiva às influências do espírito.

A sociedade está mais acelerada, a vida das pessoas mais complexa e o estresse em alta. Nestas situações, os sentimentos mais sutis (amor, ternura, compaixão etc) são menos percebidos e menos valorizados. Por exemplo: uma pessoa ansiosa perceberá muito mais o negativo de cada situação. Será mais fácil ela guardar algo negativo do que guardar o positivo.

O maior exemplo de aquietação da mente vem da vida do Chico Xavier. Ele soube organizar suas atividades para ter tempo e tranquilidade para viver o mais importante: suas orações, sua mediunidade e a paz interior. A aquietação da mente sempre foi importante. Nos tempos atuais, tornou-se muito mais importante. Tornou-se uma das necessidades mais urgentes para quem quer se abrir para a espiritualidade profunda.

Autonomia

As pessoas reclamam do mundo, reclamam das outras pessoas, reclamam da economia, reclamam da falta de tempo. Mas o maior de todos os carrascos é a própria mente. É ela quem inibe nossas maiores qualidades e nos faz envergonhar do que somos, dos nossos sonhos e objetivos.

Não se iniba jamais pensando que é pouco o que você tem para oferecer. O autoaprimoramento que deves realizar não significa que tens pouco a ofertar. Ao contrário, tua luz vai brilhar mais se você deixar de se esforçar para diminui-la. O que está à sua volta é suficiente para te proporcionar uma vida muito melhor do que a que tens hoje. Coloque nos seus objetivos aproveitar intensamente estas oportunidades. Cada uma que aproveitar abrirá a porta para novas oportunidades. A vida em si é uma sucessão de oportunidades.

Valorize o que está aqui e agora. Esta é a plataforma de lançamento de novas e maiores conquistas. Autonomia vem do fato de você assumir que não precisa de nada mais para começar a viver o que é realmente importante para o espírito. Faça, realize, erre, acerte, corrija, aprenda, supere defeitos e aprenda a servir, amar, ofertar, colaborar, ajudar e cooperar.

Confiança

Preste atenção nesta regra espiritual: cabe a você tornar tudo bom, útil, fonte de vibrações elevadas e sabedoria. Não importa o que acontecer, não importa qual é a situação em que você se encontra. Cabe a você USAR O SEU INTERIOR para dar-lhe novo significado, novas experiências e novas vivências. Todos precisam de experiências diferentes para gerar aprendizados diferentes. Todos devem evoluir, todos devem aprender. Todos devem ter experiências reais para aprendizados reais. Ao ser humano cabe usar estas diferentes situações da vida para gerar o que é importante para o espírito.

O texto abaixo é um bom exemplo do que é a confiança:

A verdadeira paz de espírito

Um homem conversava com São Francisco (em oração). O que é a paz de espírito? É a capacidade de confiar. Confiar no que? Espere e te mostrarei. Naquele mesmo dia a mala de viagem do homem se perdeu. Uma voz surgiu na mente do homem e disse: confia!

O homem pensou: devo confiar que a mala será achada e estará intacta? A paz tem a ver com o espírito, não com a mala. Naquele momento, o homem sentiu uma leveza interior, pois sua paz não dependia da mala; sem mala ou com mala, ele sempre teria tudo o que precisava para viver bem.

Confia!, disse a voz mais uma vez. Tudo o que ele precisava de mais importante para seu espírito estava ali. E ele estava desperdiçando tudo ao deixar sua mente se envolver dramaticamente com a mala perdida.

Confia! Uma paz poderosa se apossou do homem. E ele agradeceu! O problema da mala deixou de perturbar a mente do homem. Este problema ficou pequenino.
Foi assim que o homem aprendeu que tudo o que não provém do espírito é sempre pequeno. Esta é a verdadeira paz de espírito.

Regis Mesquita

Fale Conosco

Compartilhe nas redes sociais